segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Palhaço como definir um?

Reações: 

O nome “palhaço” surgiu muito antes dos circos moderno.


Palhaço Biribinha.

O palhaço é conhecido por outros nomes também; Clown, Grotesco, Truão, Bobo, Excêntrico, Tony, Augusto, Branco e Jogral, são alguns dos nomes dados a essa personagem louca, que consegue provocar o riso sincero.
Bobo da corte

Excêntrico

Jogral

Truão

A pesquisadora e especialista em arte circenses “Alice Viveiros de Castro” no seu livro “Elogios da Bobagem” publicado em 2005. Ela nos mostra uma forma diferente de ver essa persona, abordando de forma lúdica a magia do riso.
Os palhaços estão presentes em nossas vidas em diversas formas, pode estas em um evento, no teatro ou debaixo de uma lona exercendo como principal função social recolocar o riso em nossa vidas, uma prova disso é o trabalho de profissionais como os Doutores da Alegria que trás a alegria a crianças hospitalizadas e familiares que muitas das vezes Esta desconsoladas com a situação que esta vivendo naquele momento.

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

O NARIZ DO PALHAÇO

Reações: 



O NARIZ DO PALHAÇO
Por favor,
Homem revoltado
Homem ludibriado
Homem usurpado
Homem ignorante
Homem passivo
Homem covarde,
Deixa este Nariz aí!
Tira este Nariz do rosto!
Este Nariz é do Palhaço.
Faz parte da alma dele.
Não é utensílio de fracos.
Respeite-o.
Quer protestar?
Vai a luta!
Mostra a tua cara não a do Palhaço,
Quer fazer greve?
Mostra a tua cara não a do Palhaço.
Quer reclamar do governo?
Quer reclamar dos bancos?
Quer fazer uma revolução?
Quer mudar o mundo?
Mostra a tua cara não a do Palhaço.
E se conseguires alguma transformação,
Aí sim, o Palhaço te concederá o seu Nariz.
Mas o Palhaço não é esta frouxidão que tu és.
Não te confundas com o nobre Palhaço.
Há muito ele é o condutor da alegria,
Da sensibilidade, da liberdade, da emoção,
Da docilidade e da verdade também!
Ele não se oculta como tu.
Há muito habita o universo mágico da pureza
E por isso é tão sentido pelas crianças.
O Palhaço não é aquele lado teu que foge de medo,
Que não enfrenta a luta nem se expõe.
Tira então este Nariz, Homem!
E mostra a tua própria cara.
Pode ser que teus problemas comecem a ser resolvidos.
E quem sabe um Palhaço sorrirá para ti?
Se fores um lutador de verdade.




Paulo Roberto Drummond



quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Doutores da Alegria transformando a realidade hospitalar

Reações: 
Os Doutoras da Alegria

A iniciativa dos Doutores da Alegria em levar o trabalho de artistas profissionais e especializados na arte do palhaço aos hospitais é pioneira no Brasil e sua implantação foi feita pelo ator Wellington Nogueira, inspirado pelo programa que integrou o “Clown Care Unit”, de Nova Iorque, lançado em 1986, pelo ator Michael Christensen.

 

Os números desta trajetória reforçam a ação bem-sucedida: desde 1991, quando a organização foi fundada, os Doutores já visitaram mais de 550 mil crianças e adolescentes hospitalizados, atingindo também cerca de 600 mil familiares e envolvendo mais de 13 mil profissionais de saúde.

 

Essa ideia, então inédita, foi inserida na sociedade brasileira e sua prática vigora hoje em dezesseis hospitais no Brasil.

 

Além disso, inspirou cerca de 200 iniciativas similares em todo país, motivando uma série de parcerias que incluem o Ministério da Saúde e a iniciativa privada.

 

Tudo isso possibilitou outras conquistas importantes, como a criação de um Núcleo de Pesquisa e Formação

próprio – o primeiro entre organizações desta natureza.

 

Oito dos hospitais atendidos pelos Doutores da Alegria ficam em São Paulo, na capital: Hospital

do Campo Limpo, Hospital da Criança, Hospital Santa Marcelina, Instituto da Criança e Instituto de Tratamento do Câncer Infantil do Hospital das Clínicas, Hospital do Mandaqui, Hospital do Grajaú e Hospital Universitário da USP (em fase de experiência); quatro no Rio de Janeiro (RJ): Hospital Pedro Ernesto da UERJ, Instituto de Puericultura e Pediatria Martagão Gesteira da UFRJ, Hospital Geral de Bonsucesso e Hospital Salgado Filho; quatro em Recife (PE): Hospital Oswaldo Cruz; Hospital da Restauração; Hospital Barão de Lucena e IMIP; e em Belo Horizonte a Santa Casa local e o Hospital das Clínicas da UFMG.

 

Atualmente, os Doutores trabalham ainda pelo cumprimento de novos objetivos.

 

Entre eles, está a ampliação de sua atuação em hospitais da rede pública, a instalação de sedes em outras capitais do país e a busca para se tornar auto-sustentável.

 

Ao mesmo tempo, eles mantêm a premissa de formar novos profissionais e resgatar a identidade do palhaço brasileiro, aproximando-o do público.

 

Neste segmento de atuação, está o projeto “Palhaços em Rede”, um dos novos eixos mais importantes da organização para os próximos anos, por conjugar
expansão e formação em diversos níveis, além da criação de um fórum que discuta ética e qualidade das relações.

 

Doutores da Alegria é uma organização não-governamental, sem fins lucrativos, que leva alegria a crianças hospitalizadas através da arte do palhaço (mágica, malabarismo, mímica, improvisação e música).

 

Atualmente, a entidade conta com uma equipe de 21 funcionários e colaboradores nas áreas de pesquisa, formação, gestão, administração e mobilização de 58 artistas profissionais hoje em 18 hospitais.

Desses artistas, 11 participam também da gestão da ONG. 

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Festival Cenas Curtas 2012

Reações: 
Estão abertas as inscrições para a 12ª edição do festival de Cenas Curtas, que esse ano acontece na cidade de Ribeirão Pires - SP.



Mais informações pelo blog do festival :


o festival acontecerá no mês de setembro. Com oficinas, debates, e cenas de teatro, circo e performance.

Divulguem!! 

boobox

Olá seja bem vindo!

A arte esta em nossas vidas, viva a arte intensamente.